Read Ditadura Militar, Esquerdas E Sociedade by Daniel Aarão Reis Online

ditadura-militar-esquerdas-e-sociedade

É confortador pensar as ditaduras como impostas de cima para baixo, pelas elites, ou por circunstâncias particulares, e não como construções históricas de sociedades concretas, apesar e para além das oposições e das resistências. Este livro escolhe o segundo caminho e convida o leitor a uma viagem crítica pela ditadura militar que a sociedade brasileira construiu e não desÉ confortador pensar as ditaduras como impostas de cima para baixo, pelas elites, ou por circunstâncias particulares, e não como construções históricas de sociedades concretas, apesar e para além das oposições e das resistências. Este livro escolhe o segundo caminho e convida o leitor a uma viagem crítica pela ditadura militar que a sociedade brasileira construiu e não destruiu....

Title : Ditadura Militar, Esquerdas E Sociedade
Author :
Rating :
ISBN : 9788571105584
Format Type : Paperback
Number of Pages : 88 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

Ditadura Militar, Esquerdas E Sociedade Reviews

  • Felipe Costa
    2018-11-04 23:21

    O livro é muito interessante e busca mostrar o contexto no qual a ditadura brasileira se inseriu do ponto de vista internacional e nacional. O período dos anos 50 ficou marcado pela busca de autonomia por todos os países do mundo, de latinos a africanos. Esse período foi obviamente influenciado pelo modelo vitorioso da 2ª Guerra, encabeçado pelos países da aliança. No Brasil, isso se traduziu nos ideais varguistas e do PTB, o país buscou sua autonomia por meio de um Estado forte, carismático e com forte base intelectual (Sergio Buarque de Holanda, Gilberto Freyre e Caio Prado Júnior). Em suma: o Brasil buscava suas raízes.Esse modelo nacionalista e estatista foi derrotado com a saída de João Goulart e a revolução de 64. O autor, Daniel Reis, demonstra que a ditadura não surgiu apenas como uma quebra de um regime democrático promovido pelas altas classes, mas surgiu visando uma revolução no modelo de Estado brasileiro, buscando abolir o populismo e o desenvolvimentismo irresponsável dos governos anteriores. Ademais, a contrarrevolução também nasce com um forte caráter popular, sendo apoiada por boa parte da população brasileira. É interessante notar que apesar do termo "revolução" ser utilizado para o golpe de 64, esse termo não condiz com a acepção do filósofo Olavo de Carvalho, segundo o qual as revoluções acontecem apenas quando um grupo sobe ao poder com o objetivo de mudar a sociedade de cima a baixo. A revolução de 64, como escrevi explicitamente, buscava apenas uma mudança institucional.Obviamente, os objetivos iniciais acabaram perdendo-se durantes os governos que sucederam Castelo Branco e o Brasil voltou a sua tradição trabalhista e populista. O autor também demonstra que o Brasil dos anistiados fez questão de alterar a história, ao melhor modelo orwelliano. As principais reconstruções da história se deram nos seguintes aspectos: passou-se a espalhar que a ditadura não possuía nenhum apoio popular e, na verdade, as esquerdas armadas eram apenas um braço democrático.O Brasil não pode permitir que seu passado seja reconstruído, para que possamos evoluir devemos saber como fomos forjados.